TRABALHADOR PERDE METADE DA VIDA PAGANDO IMPOSTOS


29/04/2008

Brasileiro vive em média 72,3 anos e trabalha 36,3 anos para pagar tributos As crianças que nascem em 2008 podem ter que trabalhar 36,3 anos só para pagar impostos. O triste diagnóstico foi feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), considerando a média de alta de impostos nos últimos 18 anos e a proposta de reforma tributária do governo. Pela estimativa do IBPT, a carga tributária incidente sobre patrimônio, renda e consumo, hoje em 40,51% do PIB será de 50,09% após o ano de 2020. Considerando a expectativa de vida de 72,3 anos para quem nasce em 2008, a pessoa vai comprometer metade da vida para pagar o governo. "Significa que nossos filhos precisarão trabalhar muito mais para pagar o governo", diz o coordenador do instituto, Gilberto Luiz do Amaral. Tomando como exemplo a carga tributária atual, seriam necessários 29,29 anos de labuta, o que também é um tempo considerável. "Para calcular, consideramos como se a vida fosse um trabalho contínuo. Quem contribuir durante 35 anos para aposentar, por exemplo, vai trabalhar metade ali para pagar imposto", explica Amaral. O IBPT calculou a evolução do imposto de 1900 para cá. Em 108 anos, a expectativa de vida aumentou 116% e o tempo necessário para pagar tributos quase triplicou (245%). Em 1900 a expectativa de vida era de 33,4 anos e levava-se 3,92 anos de trabalho para pagar impostos. As décadas foram progressivas na cobrança. Quem nasceu em 1978, por exemplo, hoje tem 30 anos, 8,9 deles vividos para pagar tributos. Neste ano todo o trabalho do brasileiro foi para pagar impostos, taxas e contribuições e assim será ainda até o dia 27 de maio, quando serão completados quatro meses e 28 dias de 2008. Na década de 70, o tempo necessário era praticamente a metade do atual: dois meses e 16 dias, o que mostra mudança grande em menos de 40 anos. "É um modelo que vem sendo usado por todos os governantes. Neste ponto não há divergências, só o interesse em arrecadar mais", afirma. O levantamento mostra que o peso recai praticamente igual para pobres e ricos. Nas famílias com rendimento de até R$ 3.000 mensais, a carga tributária representa 38,63% da renda, diferença de apenas quatro pontos percentuais para as famílias que ganham entre R$ 3.000 e R$ 10.000 (peso de 42,83%). "O rico paga mais sobre a renda, mas o pobre paga muito sobre o consumo." Para Gilberto Amaral, a política adotada de taxar a produção e o consumo é "equivocada" e contribui para desestimular o pagamento de impostos no país. Na média são necessários 148 dias de trabalho para pagar imposto no Brasil, número que supera países, como Suécia (185 dias) e Estados Unidos (102 dias)



◂ VOLTAR