Pouso Alegre terá aeroporto privado


29/01/2014

Anac deu aval para a construção do terminal, orçado em R$ 400 milhões e capaz de operar com grandes aeronaves

 

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a construção de um aeroporto privado em Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais. O projeto do empreendimento integra planos de fazer do município importante polo logístico do país, devido à sua proximidade com as três maiores capitais do país.

 

A cidade está localizada a 200 quilômetros de São Paulo, a 373 km do Rio de Janeiro e a 392 km de Belo Horizonte. A expectativa é que as obras se iniciem no segundo semestre. O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão subordinado ao Ministério da Defesa e ao Comando da Aeronáutica, também já deu parecer favorável.

 

Para que as obras sejam iniciadas, no entanto, é preciso que a Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República conceda a outorga do terminal, permitindo que as empresas operadoras cobrem tarifa. Com base na concessão, os investidores podem construir aeroportos e cobrar tarifa desde que assumam a responsabilidade por todos os custos.

 

O aval deverá ser dado nas próximas semanas. Em seguida, a Prefeitura de Pouso Alegre terá que abrir processo licitatório para selecionar a empresa que vai executar o projeto. Apesar de o grupo multinacional de arquitetura B-Square ser o idealizador do projeto ao lado do grupo de engenharia do Catar Clearspan Technology Middle East, o grupo terá que entrar na disputa pela concessão por se tratar de um serviço público. Segundo estudos da empresa, o projeto está orçado em R$ 400 milhões.

 

De acordo com os projetos apresentados pela B-Square à prefeitura, o aeroporto ocupará 4 milhões de metros quadrados, o equivalente a um quarto da área atual do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande Belo Horizonte. Os terrenos que serão cedidos para o empreendimento já foram desapropriados.

 

A pista de pouso terá 3 mil metros de extensão, mesmo comprimento da de Confins antes das obras de expansão do aeroporto, permitindo, assim, a operação de grandes aeronaves. A ideia inicial era lançar as obras ainda no primeiro semestres, mas, devido aos trâmites burocráticos, o projeto deve sair do papel somente depois da Copa do Mundo, com a conclusão prevista para os primeiros meses de 2017. O projeto do aeroporto de carga foi apresentado ao prefeito Agnaldo Perugini em fevereiro do ano passado.

 

O aeroporto deverá servir para desafogar o tráfego tanto de Guarulhos, quanto de Viracopos, ambos em território paulista. A localização de Pouso Alegre facilita a logística. A construção de um condomínio logístico faria parte do projeto da B-Square. O grupo do Catar esteve na cidade no mês passado para avaliar as condições do negócio.

 

Os investidores prometeram retornar no mês que vem com mais definições sobre o projeto. Considerando-se o terminal aeroportuário e o condomínio, o montante investido pode se aproximar de R$ 1 bilhão. Caso o projeto de construção do aeroporto se efetive, Pouso Alegre terá seu segundo aeroporto. O outro não recebe voos comerciais regulares, ficando restrito a pouso e decolagens de aeronaves particulares. A pista com 1.280 metros impossibilita a operação de aeronaves de grande porte.

 

A B-Square tem expertise internacional na construção de aeroportos. A empresa foi responsável pelo gerenciamento do projeto de expansão do terminal de Miami; pelo design e estudos de aeroporto na Cidade do Panamá e também pelo gerenciamento das obras de cinco terminais na Líbia. A Clearspan Technology Middle East tem experiência em projetos aeroportuários no Irã e no Catar.

 

 



◂ VOLTAR