PESQUISA MOSTRA DIFERENÇA ENTRE PREÇOS DE REMÉDIOS MANIPULADOS, GENÉRICOS E DE MARCA


28/04/2008

Instituídos em 1999 no mercado brasileiro como alternativa aos medicamentos de marca, os genéricos ainda revelam-se uma boa alternativa àqueles que buscam economizar em tratamentos de saúde. Uma pesquisa do site Mercado Mineiro mostra que, na comparação de preços entre remédios genéricos, manipulados e de referência, a diferença de preços chega a 560,26% entre o medicamento mais caro e o mais barato. O levantamento, feito entre 14 e 15 de abril em 19 farmácias de Belo Horizonte, revela um "abismo" entre os preços, na comparação entre remédios com mesmo princípio ativo. Em alguns os manipulados são mais baratos que os genéricos. Em todos eles, no entanto, o custo dos remédios de marca é brutalmente superior. A maior diferença foi encontrada na caixa com 30 comprimidos do Zocor, remédio usado em tratamentos para a redução do colesterol, que custa em média R$ 95,87. O preço médio da caixa do genérico similiar, a Sinvastatina, fica em R$ 37,83. Se o consumidor optar pelo medicamento manipulado, o custo cai para R$ 14,52, uma economia de R$ 81,35 em relação ao produto de marca. Apesar da vantagem, o diretor-executivo do site Mercado Mineiro, Feliciano Lopes Abreu, ressalta que ainda há grande preconceito do mercado brasileiro a genéricos e manipulados. “Não existe motivo para o consumidor resistir, afinal, o princípio ativo é o mesmo”, lembra. Segundo Feliciano, o consumidor deve sempre pedir ao médico receitas que valham para os três tipos de remédios e pesquisar. “Muitas vezes, o genérico é mais barato que o manipulado”, lembra. Diferença nas farmácias A pesquisa mostra também a diferença de preços entre as farmácias. No caso dos laboratórios de manipulação, a diferença pode chegar a 462,50%, dependendo do medicamento. Já entre os genéricos, os preços chegam a variar 166,12%, na diferença entre o estabelecimento mais caro e o mais barato. A diferença entre os remédios de marca pode chegar a 142,68%.



◂ VOLTAR