Fiscalização nos azeites ainda é falha


18/11/2013

Fiscalização nos azeites ainda é falha

Segundo nosso teste, apenas oito marcas, entre as 19 testadas, apresentam qualidade de azeite extravirgem.

Verificamos que quatro marcas de azeite de oliva que se dizem extravirgens não podem nem ser consideradas azeites.

Outros sete não chegam a cometer fraude, mas também não podem ser vendidos como extravirgens. Ou seja, o consumidor escolhe o melhor tipo de azeite e paga mais caro por isso, mas recebe um produto fora das especificações e denominação descritas no rótulo.

Isso é considerado crime de fraude no comércio, e, não é a primeira vez que constatamos fraude nesse tipo de alimento e, novamente, apresentamos os resultados deste teste ao Ministério Público e ao Ministério da Agricultura, exigindo fiscalização mais eficiente. Já testamos azeites outras três vezes.

Em 2002, avaliamos os azeites virgens tradicionais e encontramos fraudes. Em 2007, foi a vez dos extravirgens e também havia fraudes. Em 2009, a fraude foi em uma marca que se dizia extravirgem. 

O fato de o número de produtos com fraude ter crescido, depois de tantos alertas que fizemos, demonstra que os fabricantes ainda não recebem a fiscalização necessária.

Por isso, a PROTESTE alerta ao consumidor: cuidado e atenção na hora da compra! Para não ser enganado e levar para casa um produto que não esteja dentro dos padrões de lei. 

Azeites: a escolha certa

A PROTESTE testou 19 marcas diferentes de azeites extravirgens. Saiba quais foram as marcas que se saíram bem no nosso estudo e poupe até R$ 12.

Nosso teste revelou que nem todos os produtos testados não podem sequer ser considerados azeites segundo os padrões da lei, mesmo com acidez dentro do limite.

O produto que recebeu a avaliação de melhor do teste foi o Olivas do Sul, que foi o melhor produto na análise sensorial, o seu valor varia de R$ 19,76 a R$ 23,90. 

Olivas do Sul: melhor produto na analise sensorial.

E, o produto que recebeu a avaliação de escolha certa foi da marca Carrefour que também teve um bom desempenho geral no teste e seu valor varia entre R$ 7,69 e R$ 15,29.

Carrefour: bom desempenho geral no teste.

Caso você não encontre a nossa escolha certa na hora de realizar sua compra, você pode optar por outros produtos que também receberam uma avaliação positiva em nosso teste, confira os resultados na nossa tabela.

Azeites: extravirgens só no rótulo

A PROTESTE testou 19 marcas de azeites extravirgens e constatamos que, 7 são virgens e 4 têm indícios de fraude contra o consumidor, já que pelos padrões da lei, não podem ser considerados azeites. 

Se você costuma optar pelos azeites extravirgens por acreditar que eles sejam mais puros, saborosos e saudáveis, é melhor tomar cuidado, pois você pode estar sendo enganado.

Das marcas de azeites que testamos, boa parte dos que se dizem "extravirgens", na verdade, não passa de "virgens" e alguns são até "lampantes".

A PROTESTE já realizou quatro testes com esse produto, e, este foi o que teve pior resultado, com o maior número de fraudes contra o consumidor.

Verificamos se havia produtos adulterados, ou seja, comercializados fora das especificações estabelecidas por lei. E, também que preço e renome nem sempre são sinônimos de maior qualidade. O melhor do teste foi, de fato, o que custa mais caro entre os testados. Porém, nossa avaliação mostra que há outros produtos de boa qualidade que custam bem menos.

Fizemos a análise sensorial em laboratório reconhecido pelo Conselho Oleico Internacional (COI). Eles avaliaram a qualidade das amostras quanto ao aroma, à textura e ao sabor de acordo com parâmetros técnicos. Segundo a legislação, em azeites extravirgens não podem ser encontrados defeitos na análise sensorial.

Analisamos diversos parâmetros físico-químicos para detectar possíveis fraudes

  • Presença de óleos refinados; 
  • Adição de óleos obtidos por extração com solventes; 
  • Adição e identificação de outros óleos e gorduras
  • Adição de outras gorduras vegetais;

Na análise sensorial, apenas oito marcas tinham qualidade de azeite extravirgem de acordo com os especialistas. Entre as outras, sete alcançaram defeitos que, pela legislação, as caracterizavam como azeites virgens. São elas: 

  • Borges
  • Carbonell
  • Beirão
  • Gallo
  • La Espanhola
  • Pramesa
  • Serrata

As quatro marcas com problemas de fraude foram também consideradas, pela análise sensorial, como azeites lampantes. São elas: 

  • Tradição
  • Quinta da Aldeia
  • Figueira da Foz 
  • Vila Real



◂ VOLTAR