FEBRAFARMA PEDE FISCALIZAÇÃO PARA REMÉDIOS FALSIFICADOS


13/05/2008

O rastreamento de medicamentos, que será implementado no país em 2009, não alcançará os falsificados, alerta a Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica (Febrafarma). Segundo o diretor-executivo Técnico-Regulatório da entidade, Lauro Moretto, o governo não pode deixar de investir em fiscalização intensiva contra a falsificação: - É necessário ter os órgãos de fiscalização, sanitária e tributária, fazendo inspeções. O rastreamento não terá o efeito desejado se a fiscalização pelos órgãos públicos não for permanente e diuturna. Na edição de segunda-feira, matéria publicada pelo Globo revelou que, a partir do ano que vem, todos os remédios brasileiros, dos simples antigripais até os tarja-preta, passarão a ser rastreados. Começando na linha de produção, das fábricas, passando pelos caminhões que levam aos distribuidores e até o momento da venda no balcão das farmácias, o percurso das caixinhas será monitorado. Segundo a Febrafarma, os pontos mais vulneráveis são portos, aeroportos e zonas de fronteira. A federação sugere que a fiscalização ocorra também nas fábricas e nos centros de distribuição e varejo. O rastreamento facilitará também ações como recalls. E, no caso de apreensão de produtos piratas, ajudará os fabricantes a identificar produtos irregulares.



◂ VOLTAR