FAMOSOS PARA SEMPRE


14/05/2007

Alguns medicamentos isentos de prescrição atravessam anos e anos como os preferidos dos consumidores. Outros perdem mercado, mas se mantêm presentes no imaginário popular após décadas de publicidade e consumo recorrente. VICK VAPORUB Conhecido no mundo todo por seu inconfundível pote azul e pelos aromas de cânfora, mentol e eucalipto, Vick VapoRub, da Procter & Gamble, é desde 1896 isento de prescrição com mais de 110 anos de idade. Seu inventor, Lunsford Richardson, era farmacêutico no Estado americano da Carolina do Norte e criou uma linha de produtos com o nome Vick; entre eles, vermífugos e fortificantes. O único que resistiu ao tempo foi o produto destinado a desobstruir as vias aéreas.. No Brasil, ele é vendido desde os anos 20 e, após passar por diversas modernizações, consagra-se no segmento de antigripais, dispondo de versões em pomadas e chás para o alívio dos sintomas da gripe. ASPIRINA A Aspirina é um fármaco do grupo dos antiinflamatórios não esteróides usado como antiinflamatório, antipirético, analgésico e inibidor da agregação das plaquetas sangüíneas. Sua fórmula foi descoberta pelo laboratório alemão Bayer e usa basicamente ácido acetilsalicnico. A marca tomou­-se tão famosa que a palavra "aspirina" não quer mais dizer marca, mas, sim, nome de medicamento para dores de cabeça. O produto foi criado em 1899, pelo laboratório Bayer. MINANCORA Com fórmula desenvolvida no Brasil em 1915, a pomada Minancora aproxima-se dos cem anos como um produto pioneiro no tratamento da acne. Desenvolvida pelo farmacêutico português Eduardo Augusto' Gonçalves, o medicamento à base de cloreto de benzalcônio, óxido de zinco e cânfora é indicado para tratar as doenças de pele como espinhas, frieiras, micoses, urticárias, assaduras e queimaduras. Até os anos 60, era comumente usada como auxiliar em abcessos, hemorróidas e picadas de mosquitos. A pomada do laboratório Minancora mantém um público fiel à tradição da pomada antiacne mais famosa do Brasil. NOVALGINA Comercializado no Brasil desde 1921 , pelo laboratório Hoechst, a Novalgina tornou-se sinônimo de dipirona, o princípio ativo capaz de baixar febres. Analgésico e antitérmico, o produto atravessou gerações como referência no combate à febre e aos sintomas da gripe. Desde o final dos anos, enfrenta dura competição com fórmulas genéricas e com antigripais em comprimido, que já contêm dipirona. Apesar da concorrência, o produto mantém-se como um dos mais vendidos da sanofi-aventis. SAL DE FRUTA ENO Lançado no Brasil em 1931, o antiácido era vendido em potes de vidro com 1 00 gramas. Só nos anos 80 a GlaxoSmithKline modernizou sua embalagem passando a vendê-Io em potes plásticos. Nos anos 90, o laboratório lançou nova apresentação em envelopes individuais de 5 gramas e criou outros sabores, como o Eno Laranja. Em 2005, para atingir o público jovem, a GSK lançou o Sal de Fruta ENO sabor Guaraná e adotou ,cores brilhantes e design mais ousado na embalagem. Com diversas versões e sabores, o Sal de Fruta caiu no gosto do público e não saiu mais. CEBION Criado em 1934, pelo laboratório alemão Merck S.A., Cebion mal foi lançado e a Europa entrou em guerra, o que causou a destruição da quase totalidade das plantas industriais da fabricante. O produto só voltou a ser fabricado em larga escala nos anos 50. Na época,.- Cebion era um vitamínico secundário nas operações da Merck. Com o passar do tempo, no entanto, a marca tornou-se campeã de vendas. No Brasil, a vitamina C passou por diversas atualizações até chegar às versões efervescentes com sabores como os que estão disponíveis atualmente nas farmácias. O marketing de Cebion fez história ao associar a marca ao nome de grandes ídolos brasileiros do esporte. POLARAMINE Produzido pelo grupo Mantecorp, Polaramine é uma marca conhecida para o alivio de diversas manifestações alérgicas, como dermatites, rinites, urticária, soros, picadas de inseto e até asma. O medicamento, vendido desde 1937, atravessou gerações e ainda hoje está entre os antialérgicos e antiestamínicos mais vendidos do País. Atualmente comercializado nas apresentações xarope e comprimido oral, o medicamento é muito popular entre crianças, faixa etária em que as manifestações alérgicas são mais comuns. HIPOGLÓS Famoso pelo tratamento de assaduras e outros males cutâneos, a pomada do grupo Procter & Gamble é vendida no País desde 1939 e tornou-se uma referência que atravessou gerações. Inicialmente vendida em apresentação única, a pomada passou por diversas modernizações, ganhando nova embalagem. Sua consagrada fórmula, à base de vitaminas A (retinol), D (colecalciferol) e óxido de zinco não só permaneceu inalterada como foi alvo de publicidade da Procter & Gamble. O laboratório investiu no slogan Hipoglós mudou, mas sua fórmula continua a mesma. MERTHIOLATE Lançado nos Estados Unidos, na década de 20, e no Brasil, na década de 50, Merthiolate é um anti-séptico à base de digluconato de clorexidina que se tornou incrivelmente popular nos anos 80 e no princípio dos 90. Originalmente fabricado pela Lilly, hoje a marca pertence à Dorsay Monange, que mudou sua fórmula no início desta década. Para surpresa de milhões de usuários, Merthiolate foi declarado ineficaz no começo de 2000 como anti-séptico após uma série de análises técnicas. O comunicado abalou a credibilidade do produto, que ganhou nova fórmula e emplacou o slogan Agora mais forte. E não arde! Apesar dos percalços, o produto segue como campeão de vendas em seu segmento. CORISTINA Lançado em 1953, Coristina tornou-se uma referência entre os antigripais por ser um produto totalmente nacional. As primeiras versões do produto tinham formulação analgésica, antitérmica e antialérgica e descongestionante com as apresentações de Coristina d, Coristina R (reforçada) e Coristina gotas. Por volta da década de 70, surgiu a Coristina C, que possuía a mesma formulação mais a Vitamina C. A Schering-Plough, que assumiu o produto da Schering Corporation, também lançou a Coristina líquida (em forma de xarope) que durante algum tempo foi, inclusive, propagada para pediatras. O medicamento, que agora pertence ao grupo Mantecorp, foi pioneiro e continua em alta até os dias de hoje. BUSCOPAN Comercializado no Brasil pela Boehringer Ingelheim, Buscopan marcou época como referência de produto para o combate às cólicas e dores abdominais. Desenvolvido inicialmente para uso hospitalar, em forma de líquido injetável, o laboratório apresentou a versão oral para venda em farmácias em 1954, em frascos de vidro com 20 ml. Nos últimos anos, foi lançado o medicamento em comprimidos para usar em crises de dores e para acompanhar as mudanças do setor MIP, de modernização de embalagens e novas apresentações. ANADOR Vendido no Brasil desde 1957, Anador foi uma das primeiras marcas populares da Boehringer Ingelheim no Brasil. Produzido à base de compostos capazes de aliviar a dor e combater a febre, o produto atingiu seu auge de popularidade nos anos 80. Atualmente, permanece entre os mais vendidos de sua categoria e conta com uma série de apresentações diferentes. LlSADOR Lançado em 1963, o medicamento da Farmasa tornou-se uma referência no segmento de analgésicos ao apresentar a fórmula que reúne dipirona, adifenina e prometazina. A ação conjunta dos princípios potencializa os efeitos analgésicos da droga, o que conferiu forte vantagem ao produto. Inicialmente vendido apenas em gotas e comprimidos, a marca passou por diversas mudanças de embalagem e apresentação nos últimos anos. O grande processo de modernização de Usador, no entanto, ocorreu em 2004, quando o fabricante mudou o design das embalagens e estreou um conjunto de medicamentos chamado "Famflia Usador", com diversas versões. NEOSALDINA Princigal produto da Altana harma, o Neosaldina, lançado em 1972, destacou-se no mercado brasjleiro como um dos analgésicos mais poderosos para combater dores de cgbeça e enxaql,lecas. Um dos motivos que populariz.ou o med,icamento nos últimos "15 anos foi o fato de ser indicaêfep para tratar vários tipos de dores com eficácia e de ter firmado a marca de forma rápida. Ó produto foi um dos primeiros a adotar embalagem com quatro drágeas, a fim de conquistar mais consumidores. MAGNÉSIA BISURADA Tradicional antiácido da Wyeth, lançado em 1969, a Magnésia Bisurada é vendida no País há mais de duas décadas e permanece como referência para o combate à acidez no estômago, apesar da avalanche de produtos desse segmento nos últimos oito anos. Famosa pela apresentação em pastilhas, a Magnésia Bisurada ganhou nova embalagem no final de 2006 e conta agora com diversas apresentações; entre elas, cartelas com apenas quatro comprimidos, para' atrair usuários esporádicos. Tradicional, o produto vende 1 ,3 milhão de unidades por ano no Brasil. LUFTAL Comercializado desde. 1962 no Bra$il, o antiflatul nQil3.d8'i !i3ristol,eMyers quibb iileté o incrível marco de m nterc se líder de mercado até os dias de hoje. Ao contrário de outros nomes consagraçlos que foram atropelados pela modernjzação tia indústria, o Luftal passou por diversas mudanças de marca e embalagem para seguir como o preferido do públicoei')1 sua categoria. Mesmo depois de a patente de sua fórmula expirar, o medicameht9 não sucumbiu aos concorrentes genéricos e permanece,como campeão de vendas. DORFLEX Produzidos desde 1974 pelo laboratório sanofi-aventis, os comprimidos de Dorflex são um dos analgésicos mais populares do Brasil. Usado para tratar desde incômodos nas costas até enxaquecas, o produto é,inGJicado para o alívio de dores de contraturas musculares e cefaléias. Dorflex tornou-sereferência por ser um dos primeiros comprimidos a adicionar dipirona e cafeína em sua fórmula analgésica. Atualmente, esse medicamento pode ser encontrado também em solução oral e permanece entre os líderes de vendas, mesmo com o grande número de novos analgésicos no mercado. EPOCLER As primeiras bisnagas do hepatoprotetor Epocler chegaram às farmácias brasileiras em 1977. Lançado pelo laboratório Ayerst (depois passou a ser do grupo Wyeth), o medicamento usava uma fórmula já conhecida em alguns mercados da Europa e dos Estados Unidos. Seu pioneirismo tornou o produto referência nos anos 80 e 90 e, mesmo sem passar por grandes modernizações, Epocler é um dos mais vendidos no País. Atualmente produto do grupo Wyeth, Epocler segue a tendência do mercado de MIPs e exibe novas apresentações para o ­consumidor, como bisnagas vendidas ; em pequena quantidade e com sabores de frutas, como abacaxi. Marketing do produto, que atualmente é do Dorsay Monange, tornou famoso o slogan Um antes, outro depois. TYLENOL Fabricado pela Janssen-Cilag, em maio de 1980, Tylenol tornou-se popular por ser um dos primeiros medicamentos no Brasil a popularizar o princípio ativo paracetamol para combater as dores e, em menor escala, a febre. Vendido inicialmente em comprimidos para adultos, Tylenol foi um dos analgésicos com mais capacidade de se modernizar. Atualmente, as versões com efeito prolongado, curto, adulto, pediátrico, com cafeína, entre outras, formam uma famma de produtos que exploram a marca tradicional. CATAFLAM Produzido pela Novartis, em 1989, o antiinflamatório é um dos pioneiros no setor farmacêutico mundial ao usar o princípio ativo diclofenato de potássio para combater inflamações. O medicamento tornou-se uma referência no setor ao despontar como um dos primeiros antiinflamatórios não esteróides com ação também analgésica. Embora tenha perdido mercado nos últimos cinco anos em razão do avanço de versões genéricas, a marca permanece entre as mais vendidas do País e é uma das mais conhecidas do público. Recentemente, a Novartis estreou novas apresentações do produto, como o Cataflam Emulgel, o que abriu um novo mercado para a marca, o dos antiinflamatórios de uso externo.



◂ VOLTAR