FALTA DE PRAZER TEM REMÉDIO


26/02/2008

Laboratório lança gel que proporciona satisfação sexual para mulheres. Cerca de 54% das brasileiras não chegam ao orgasmo Exatos 10 anos depois do lançamento do Viagra, a famosa pílula azul da Pfizer que revolucionou o mercado mundial de medicamentos para impotência masculina, o laboratório Ativus Farmacêutica desenvolve o primeiro gel no país para melhorar o desempenho sexual e proporcionar completa satisfação para as mulheres. Já à venda em bisnagas de 10 gramas, o Viatop-AM é recomendado para mulheres que têm dificuldade para alcançar o orgasmo — problema que atinge 54% das brasileiras, segundo estimativas do Projeto Sexualidade (ProSex) do Hospital das Clínicas de São Paulo. O gel é composto pelas substâncias arginina e mentol. A primeira age como vasodilatador, que melhora a circulação e o fluxo sangüíneo na área genital. Já a segunda, extraída da planta mentha arvensis, garante maior sensibilidade e cria uma sensação de calor na região do clitóris. O produto deve ser aplicado na região genital através de massagem local por 3 a 5 minutos. Após esse período, a absorção se dá em poucos segundos e o efeito é imediato. Além de aumentar a sensibilidade na região do clitóris, o gel também melhora a lubrificação vaginal. “Uma pequena quantidade já é suficiente para a mulher alcançar o prazer. Mesmo assim, o produto pode ser reaplicado quantas vezes for necessário. Só se recomenda que a quantidade não seja excessiva porque o mentol pode causar ardor. É importante observar também que o gel sozinho não faz milagres. Em tese, o efeito da aplicação dura de 20 a 60 minutos, mas isso vai depender da duração do próprio estímulo sexual do parceiro”, ressalta a ginecologista Silvana Chedid Grieco. Cautela Muitos ginecologistas já apelidaram o Viatop-AM de Viagra feminino. Segundo Silvana, a comparação procede. Afinal, o mecanismo de ação dos dois é semelhante e o efeito também. A única diferença é que o sildenafil (princípio ativo do Viagra) é por via oral e a arginina, local. Mas, a exemplo do que acontece com os remédios para impotência sexual masculina, o ‘Viagra feminino’ também merece cuidados. “Mulheres que tenham algum processo infeccioso na região genital ou que estejam fazendo tratamento para engravidar devem consultar ginecologista antes de usar. Grávidas também não devem utilizá-lo”, pondera a médica Silvana.



◂ VOLTAR