FALHA EM SISTEMA SUSPENDE NOVAS ADESÕES À FARMÁCIA POPULAR


19/02/2008

A expansão do programa Farmácia Popular, lançado pelo governo federal em março de 2006 e que permite a compra de medicamentos em drogarias particulares com descontos de até 90%, continua dando problemas aos consumidores. O sistema de informática utilizado para efetuar as vendas trava constantemente e, muitas vezes, os clientes são obrigados a esperar até meia hora para sair do estabelecimento com o produto. O governo teve de brecar a adesão de novas farmácias ao programa. Hoje, há mais de 3,5 mil farmácias privadas credenciadas ao programa em todo o País. O site do Ministério da Saúde informa que novos cadastramentos no Farmácia Popular estão suspensos por tempo indeterminado para a reformulação do sistema gerenciador. Essa medida, segundo o presidente da Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico (ABC Farma), Pedro Zidói, foi tomada porque os computadores travam e muitas vezes impossibilitam a compra. “Os novos cadastros estão suspensos e os donos de farmácia não podem aderir ao programa”, afirmou. O consumidor também sai prejudicado com isso. Em vez de comprar o remédio com desconto de até 90%, as pessoas são obrigadas a pagar o preço cheio, quando o sistema está indisponível. Além de não ter à disposição o máximo possível de farmácias com o programa de descontos disponível.



◂ VOLTAR