CUIDADO COM AS ARMADILHAS DOS E-MAILS COM VÍRUS


07/03/2008

Eles estão disfarçados em mensagens eletrônicas de empresas, como Correios ou bancos Internautas devem ficar atentos ao recebimento de falsos e-mails. Muitos deles indicam a chegada de telegramas fonados, supostamente enviados pelos Correios, de informações sobre tempo de serviço, direcionados pela Caixa Econômica Federal (CEF), ou ainda sobre sua própria conta corrente, do seu banco. O que parece ser um serviço de utilidade, é na verdade um grande golpe que pode causar muita dor de cabeça. O trabalho dos hackers é tão bem feito, que faz com que muitas pessoas caiam na armadilha. O e-mail traz não só a logomarca da empresa, como também assinaturas de supostos funcionários e endereço profissional do remetente. O perigo, no entanto, não está em abrir a correspondência virtual, mas sim em clicar sobre o link que eles indicam. O endereço clicado, nesses casos, é um vírus que acaba entrando no computador e prejudicando a navegação dos internautas, além de comprometer a segurança das informações contidas nele. No próprio site dos Correios (www.correios.com.br) há um comunicado informando que a empresa não envia qualquer tipo de e-mail para seus clientes. "Tomamos conhecimento de que falsos e-mails, que podem conter vírus ou agentes maliciosos, estão sendo enviados em nome dos Correios. Por isso, caso receba alguma dessas mensagens, essas deverão ser apagadas imediatamente". Caso exista dúvidas, a empresa disponibiliza a central de atendimento 0800 570 0100. Uma das muitas vítimas deste golpe é o analista de sistemas Ricardo de Albuquerque, que conta receber e-mails semelhantes de diversas empresas. "Recebo pelo menos três vezes por semana algum e-mail falso. Apesar de serem muito bem feitos, não clico no link que eles indicam". Mesmo não caindo no golpe, o analista fica incomodado com o fato. "É ruim porque lota minhas caixas de correspondências e me faz perder um bom tempo deletando". Da mesma maneira a Caixa Econômica Federal e o Banco Central (BC) informam que não enviam comunicados virtuais aos clientes. "A Caixa não envia e-mail a seus clientes solicitando a ativação de serviços ou a inserção de seus dados pessoais e senhas em nenhuma hipótese". O texto do e-mail da CEF traz um link que levaria para informações sobre lançamentos do Crédito Complementar e operações referente aos depósitos da sua conta do FGTS. Para qualquer dúvida, a CEF disponibiliza o telefone 0800-726-0101. No caso do BC, uma falsa mensagem convida o correntista que usa a internet a preencher um cadastro com dados da conta-corrente com o intuito de aumentar a segurança de transações por meio eletrônico, e dá um prazo até 30 de março para que o cadastro seja feito. O Banco Central recomendou que em hipótese alguma os usuários da internet preencham o cadastro, copiem esses tipos de arquivos ou os executem. "O BC não envia e-mails diretamente a correntistas e usuários do sistema financeiro nacional, exceto em resposta às consultas específicas solicitadas por clientes de instituições financeiras", diz nota. Em caso de dúvidas, o correntista deve ligar para 0800 979 2345. Para não cair na armadilha e ter certeza do golpe, basta colocar o cursor do mouse sobre o link, sem clicar, que aparecerá na tela, logo abaixo, o endereço que o internauta será direcionado. Muitas vezes, são seqüências estranhas, do tipo: ftp://licitarcartaconvite:[email protected] ou www/pub/licitacoescorreioscartaconvite.cmd. SOLUÇÃO Na tentativa de diminuir esses tipos de armadilhas, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que permite a usuários da internet bloquear mensagens eletrônicas comerciais - os chamados spams - recebidas por e-mail sem consentimento. Pela proposta, fica proibido o envio de mensagens eletrônicas não solicitadas. Também fica proibido o envio de mensagens para endereços obtidos por meio de programas de computador geradores de endereços eletrônicos ou a partir da coleta automática de endereços feita pela internet. De acordo com o projeto, o remetente tem que enviar o endereço físico ou eletrônico na mensagem e a forma de o usuário cancelar seu recebimento, se assim o desejar. Os proprietários de bancos de dados de endereços eletrônicos ficam também proibidos de divulgar informações pessoais sem consentimento do usuário. O descumprimento da lei poderá resultar em multa que varia de R$ 50 a R$ 1 mil. O critério para aplicação da multa analisará a quantidade de mensagens enviadas, a reincidência do envio, os prejuízos causados às redes de comunicação, a extensão do dano experimentado pelo usuário e o benefício auferido pelo remetente do spam. O projeto agora será analisado na Comissão de Ciência e Tecnologia.



◂ VOLTAR