CERCA DE 24 MIL MEDICAMENTOS SOFREM REAJUSTE MÉDIO DE 3,18%


01/04/2008

Apesar de alguns veículos de comunicação, como "Globo" e "Folha de S.Paulo", terem anunciado um adiamento do reajuste para o dia 9 de abril, a Abafarma (Associação Brasileria do Atacado Farmacêutico) esclarece que houve um mal-entendido na divulgação das informações para a imprensa. Segundo Jorge Froes, diretor-executivo da Abafarma, a Cmed adiou a entrega do Relatório de Comercialização pela indústria para o dia 9 de abril, que nada tem nada a ver com o atacado. "Uma coisa nada tem a ver com a outra. O reajuste está mantido para hoje (31 de março)". Ainda segundo a Abafarma, o Relatório de Comercialização das indústrias é uma forma utilizada pela Cmed para fiscalizar as listas de preços reajustados pelos laboratórios, para evitar erros ou abusos. O reajuste médio de 3,18% nos preços dos remédios foi anunciado no dia 14 deste mês pela Cmed (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos). Os reajustes foram estabelecidos para três faixas diferenciadas de medicamentos. Os percentuais, de até 4,61%, 3,56% e 2,52%, foram definidos segundo o nível de competição nos mercados a partir do grau de participação dos genéricos nas vendas. A Cmed informou que o cálculo também considerou o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o fator de produtividade e a variação dos custos do setor. O próximo reajuste deve ocorrer em março de 2009. Cerca de 24 mil apresentações terapêuticas serão atingidas pelo reajuste. Os medicamentos fitoterápicos e os homeopáticos não são submetidos ao reajuste, assim como 900 apresentações com venda livre de receita (MIP). Entre os medicamentos, cerca de 8.000 terão o reajuste maior, de 4,61%, 2.000 estão na faixa intermediária, com alta de 3,56%, e 14 mil terão o reajuste menor (2,52%). No ano passado, o reajuste máximo determinado pelo governo foi de 3,02%. Já em 2006, o aumento chegou a 5,51%. Segundo previsão da Cmed, o reajuste deve chegar efetivamente às farmácias - ou seja, ao bolso do consumidor - entre os dias 10 e 15 de abril.



◂ VOLTAR