ANTIBIÓTICOS VIRA VILÃO


01/01/1970

Especialistas alertam que uso excessivo do medicamento cria resistência no organismo e pode causar surdez nas crianças Apesar de ainda ser um dos medicamentos mais eficaz no combate à infecções, a banalização do uso de antibióticos tem levado pediatras a recorrer a diagnósticos mais precisos porque as crianças estão criando resistência ao medicamento. Uma recente descoberta de especialistas britânicos apontou que o uso prolongado de antibióticos em prematuros estaria causando também surdez. Trata-se dos chamados antibióticos aminoglicosídeos usados para tratar certas infecções, mas pode afetar funções renais e o sistema auditivo da criança. “Se usado em altas doses e por muito tempo, o antibiótico pode não fazer mais efeito nas crianças. Além disso, grande parte dos problemas freqüentes em crianças é causada por vírus, e muitas vezes, os pais dão antibiótico para os filhos sem necessidade. Em longo prazo, este remédio perde a funcionalidade para a criança, sendo necessário algum medicamento ainda mais forte”, alerta a pediatra Maria Cristina Duarte. Segundo o chefe da pediatria do Hospital Balbino, Antônio Carlos Turner, no Brasil a utilização excessiva em emergências de hospitais também precisa ser revista. “Para tratar as crianças, muitas vezes não há especialistas nas emergências e a solução para curar qualquer tipo de doença é o uso imediato de antibiótico, o que futuramente pode causar uma gastrite ou outras doenças renais nos menores”, afirma. Ele aconselha que deve-se avaliar melhor se a criança está reagindo mal à infecção utilizando determinado antibiótico. “Na segunda tentativa de medicação com antibiótico sem sucesso, realizamos uma cultura de sangue ou antibiograma para avaliar qual antibiótico vai funcionar melhor no tratamento. Essa medida pode poupar gastos com cirurgias no futuro”, explica.



◂ VOLTAR