A ORIGEM DO DIA DOS NAMORADOS


08/06/2006

Você sabe como surgiu o Dia dos Namorados? A provável origem do Dia dos Namorados está na Roma antiga, no século III. O imperador Claudius II havia proibido o casamento durante os tempos de guerra, porque achava que os soldados solteiros eram mais eficientes. Mas o padre Valentim desobedeceu a ordem e celebrou vários casamentos. Pela desobediência, ele foi condenado à morte e tornou-se santo. A data em que ele morreu, 14 de fevereiro, passou então a ser celebrada por ingleses e franceses no século XVII, ao mesmo tempo como Dia de São Valentim e Dia dos Namorados. Um século depois foi adotado nos Estados Unidos como o "Valentine’s Day". No Brasil, o fato da data ser comemorada em 12 de junho tem um significado muito menos heróico ou romântico. O costume surgiu em 1949, quando o publicitário João Dória trouxe a idéia do exterior e a apresentou aos comerciantes. Como junho é um mês de vendas baixas, eles decidiram comemorar a data nesse mês e ainda escolheram a véspera de Santo Antônio, o santo casamenteiro como o Dia dos Namorados. O beijo Como nesta data as pessoas buscam demonstrar dedicação e carinho pelos seus companheiros, o beijo apaixonado é essencial na união dos casais e uma linda prova de amor. Mas você sabe quais são as reações do nosso organismo durante essa delícia que é beijar? O ato em si é capaz de movimentar 29 músculos, sendo 12 dos lábios e 17 da língua. Durante um beijo, a pulsação cardíaca pode subir para algo em torno de 150 batimentos por minutos. Também ajuda a queimar calorias, de 3 a 15, num beijo intenso. Cientificamente o beijo apresenta números interessantes. Quando você beija, está trocando, além de carinho cerca de 250 bactérias na saliva, nove miligramas de água, 18 substâncias orgânicas, sete decigramas de albumina (proteína solúvel em água), 711 miligramas de materiais gordurosos e 45 miligramas de sais minerais. Melhor do que isso, é saber que um beijo desencadeia a libertação de substâncias neurotransmissoras que provocam sensações de bem-estar e excitação como a adrenalina, a dopamina e a serotonina.



◂ VOLTAR